#divBusca{     background-color:#2F4F4F;     border:solid 1px;     border-radius:15px;     width:300px; } .wtrBlogDfPostOther { display: none; important! margin-top: 22px; } .wtrShtLastNewsStandard .wtrShtLastNewsStandardOther { display: none; }
12
04
2019

Hipertensão arterial

Em Portugal, existem cerca de 2 milhões de hipertensos. É uma doença crónica, onde a pressão sanguínea (força que o sangue exerce por unidade de área na parede das artérias) se encontra constantemente elevada. Quando esta situação não é tratada, sendo muitas vezes assintomática, constatam-se danos nas artérias e órgãos vitais.

A hipertensão arterial (HTA) está associada a um maior risco de doenças cardiovasculares, particularmente o acidente vascular cerebral (AVC).

 

Este risco pode aumentar ainda mais quando a hereditariedade é combinada com estilos de vida pouco saudáveis, como fumar e não ter hábitos alimentares adequados. Desta forma, ter um estilo de vida saudável ​contribui para manter a pressão arterial normal e consequentemente diminuir o risco destas doenças associadas.

 

Para prevenir a HTA devemos ter uma prática regular de exercício físico. O Índice de Massa Corporal (IMC) deverá estar entre 18,5 e 24,9 Kg/m2 que corresponde ao peso saudável do indivíduo para a sua altura.

 

Devemos também ter uma alimentação completa, variada e equilibrada onde esteja presente o uso frequente de ervas aromáticas e especiarias reduzindo o consumo de sal para 1 colher de chá rasa /dia (5g) que nos fornecem 2000mg de sódio.

 

A alimentação adoptada no tratamento da HTA é a dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) que se distingue por ser rica em potássio, magnésio e cálcio, proteínas e fibras, bem como pobre em sal e em gordura saturada. Caracteriza-se também pelo aumento do consumo de frutas e legumes, consumo moderado de cereais, peixe, aves e frutos secos, consumo reduzido de carnes vermelhas, doces, produtos açucarados e moderação do consumo de álcool.

 

Recomendações para a redução do consumo de sal:

– Usar especiarias nos seus cozinhados; e temperar com o sabor de ervas, especiarias, limão, lima e vinagre em vez do sal;

– Escolher alimentos frescos;

– Lavar os alimentos enlatados (como o feijão), para remover algum sódio;

– Evitar as refeições congeladas, sopas enlatadas, caldos, molhos e fast-food;

– Evitar os alimentos curados, fumados (bacon, presunto, salpicão, etc), embalados em salmoura (conservas- pickles, azeitonas, legumes em conserva, chucrute, etc);

– Verificar a informação no rótulo relativo ao conteúdo de sal ou sódio. O teor de sódio do alimento deverá ser menos de 140 mg/porção ou menos de 5% da dose diária recomendada (DDR).

(Adaptado APN)

 

 

Helena Mendes da Maia

Nutricionista e Mestre em Doenças Metabólicas e Comportamento Alimentar

Autora do livro “Longevidade à La Carte”

Cédula Profissional nº 0084N

nutricao.marisol@aquafitness.pt

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE