#divBusca{     background-color:#2F4F4F;     border:solid 1px;     border-radius:15px;     width:300px; } .wtrBlogDfPostOther { display: none; important! margin-top: 22px; } .wtrShtLastNewsStandard .wtrShtLastNewsStandardOther { display: none; }
15
03
2019

Hipercolesterolemia

O colesterol é um precursor na produção de várias moléculas tais como as hormonas, vitamina D e ácidos biliares e é importante na manutenção da integridade das membranas celulares.

 

O colesterol tem duas origens:

-Origem endógena- síntese hepática

-Origem exógena – fonte alimentar

 

O colesterol circula no sangue ligado a proteínas. Este complexo colesterol-proteína designa-se por lipoproteína:

– Lipoproteínas de baixa densidade (LDL) – são conhecidas como o “mau” colesterol porque quando se encontram em excesso, podem depositar-se na parede das artérias, impedindo o fluxo sanguíneo normal. As LDL transportam o colesterol do fígado para o resto do corpo;

– Lipoproteínas de alta densidade (HDL) – conhecidas como o “bom” colesterol, transportam o colesterol das LDL, artérias e corrente sanguínea até ao fígado, para posterior deposição/metabolização.

 

Segundo a European Society of Cardiology e European Atherosclerosis Society para a população em geral e indivíduos com um risco baixo a moderado de desenvolvimento de doença cardiovascular as recomendações são:

Ao passo que em doentes com risco alto o colesterol LDL deverá ser < 100 mg/dl e em doentes com risco muito alto (com patologia coronária, diabetes ou insuficiência real) o colesterol total (CT) deverá ser < 175 mg/dl e o colesterol LDL deverá ser < 70 mg/dl.

 

A adopção de um estilo de vida englobando uma alimentação saudável e a prática de actividade física é indispensável para todos nós.

 

Recomendações alimentares

– Consumir fruta e hortícolas frescos e sazonais;

– Consumir frequente de cereais integrais e frutos oleaginosos;

– Preferir o azeite como gordura de eleição para temperar e/ou cozinhar;

– Consumir pescado no mínimo 2 vezes/semana, em especial peixes gordos com a sardinha e a cavala em detrimento do consumo de carne.

– Consumir lacticínios com baixo teor em gordura e preferir carnes magras;

– Evitar o consumo de produtos de salsicharia, charcutaria e vísceras, bem como o consumo de alimentos processados e de açúcares simples;

– Reduzir a adição de sal para <5g/dia (substitua-o por especiarias e ervas aromáticas);

– Limitar o consumo de bebidas alcoólicas (preferir o vinho tinto à 1 copo de ~150 ml/dia para as mulheres e 2 copos de ~150 ml/dia para os homens e apenas como acompanhamento das refeições principais).

 

(Adaptado de APN)

 

 

 

 

Helena Mendes da Maia

Nutricionista e Mestre em Doenças Metabólicas e Comportamento Alimentar

Autora do livro “Longevidade à La Carte”

Cédula Profissional nº 0084N

nutricao.marisol@aquafitness.pt

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE