#divBusca{     background-color:#2F4F4F;     border:solid 1px;     border-radius:15px;     width:300px; } .wtrBlogDfPostOther { display: none; important! margin-top: 22px; } .wtrShtLastNewsStandard .wtrShtLastNewsStandardOther { display: none; }
26
10
2018

Hidratos de carbono à noite, sim ou não?

Como a maioria das respostas dos nutricionistas: depende! Atualmente fala-se muito sobre esta temática como uma estratégia para a perda de peso, contudo esta “solução” não é tão linear como a maioria das pessoas idealizam.

Comer hidratos de carbono durante o dia ou à noite tem o mesmo valor energético, o que diferencia a eficácia da diminuição da sua ingestão num determinado período do dia, tem a ver com o paciente que nós temos à nossa frente e com todas as suas características e estilo de vida inerentes.  Vou dar-vos um exemplo mais prático de duas situações distintas:

– Individuo com 26 anos; sexo masculino; motivo da consulta: redução da massa gorda / aumentou bastante o peso derivado à má alimentação que pratica durante o período laboral; trabalha nas limpezas, atualmente por turnos, ficando no horário da noite várias vezes; treina apenas 2x por semana ao final do dia, mas só quando não se sente cansado.

Neste caso em particular, o principal problema deste paciente tem a ver com uma reeducação alimentar necessária que tem de estar adaptada aos seus horários rotativos no trabalho. Claramente este senhor irá necessitar de hidratos de carbono à noite, porque é o período do dia em que se mantém mais ativo, tanto no trabalho como a nível do treino. A gestão desse consumo deve ser feita consoante as necessidades nutricionais do individuo e a disponibilidade horária para comer durante o período laboral. No decorrer do dia, como passa metade do tempo a dormir, não necessita da mesma proporção de hidratos de carbono, beneficiando possivelmente numa redução no seu consumo.

– Individuo com 26 anos, sexo masculino; motivo da consulta: redução da massa gorda / aumentou bastante o peso porque faz poucas refeições ao longo do dia e tem uma má alimentação; trabalha nas limpezas, mas entra às 9h e sai às 16h; treina apenas 2x por semana ao final do dia, mas só quando não se sente cansado; revela períodos de hiperfagia (aumento do apetite/ingestão excessiva de alimentos) à noite.

Pela ordem de pensamento do caso anterior, vocês diriam que este paciente iria beneficiar de uma redução de hidratos de carbono à noite porque é quando se encontra menos ativo. Porém, como mencionei no início do artigo, um individuo é um todo e não podemos avaliar a situação só do ponto de vista nutricional nem só do ponto de vista de estilo de vida. Tendo em conta que revela hiperfagia à noite, se retirar os hidratos de carbono ao jantar a probabilidade de após a esse período “atacar” tudo o que exista na dispensa, é muito grande. Por este motivo, neste caso em particular a melhor estratégia é descobrir a razão da hiperfagia e reduzir aos poucos a quantidade de hidratos de carbono de forma a promover um défice energético que é necessário à perda de peso, que pode ser distribuído igualmente ao longo do dia ou então em períodos mais relevantes.

Em resumo, os hidratos de carbono são extremamente importantes e têm como principal função a obtenção de energia. Esta energia deve ser redireccionada, por norma, para as fases do dia em que o individuo se mantém mais ativo, contudo podem existir condicionantes que interfiram com essa situação, comprovando a relevância do nutricionista na sociedade.

 

 

Daniela Toscano,

Nutricionista

Cédula Profissional nº 3672N

nutricao2.marisol@aquafitness.pt

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE