#divBusca{     background-color:#2F4F4F;     border:solid 1px;     border-radius:15px;     width:300px; } .wtrBlogDfPostOther { display: none; important! margin-top: 22px; } .wtrShtLastNewsStandard .wtrShtLastNewsStandardOther { display: none; }
28
02
2018

Doença Celíaca

O que é?

A Doença celíaca é uma patologia que se desencadeia pela ingestão frequente de glúten, uma proteína presente no trigo, centeio, cevada e aveia. Esta doença caracteriza-se por um estado de inflamação crónica da mucosa intestinal que afeta a imunidade e a absorção dos nutrientes, sendo considerada uma doença auto-imune.

 

População afetada

Esta patologia pode ser diagnosticada em qualquer idade, tanto em crianças como em adultos. No caso das crianças pode ser diagnosticado nos primeiros anos de vida, com a introdução dos cereais na alimentação.

Existem alguns grupos de risco tais como: portadores de síndrome de Down, de Turner, de Williams, diabetes mellitus tipo 1, hepatite auto-imune, entre outros.

 

Tratamento

Não existe tratamento para a doença celíaca, a não ser a restrição total de todos os alimentos e produtos que possam conter glúten ou vestígios. Nestas situações, deve-se ter um cuidado redobrado, principalmente com a contaminação cruzada dos alimentos (exposição acidental ao glúten).

 

Alimentação

Apesar das restrições existentes num doente celíaco, hoje em dia já existem inúmeros produtos sem glúten, que há uns tempos atrás eram completamente inacessíveis, não só por serem dispendiosos mas também por não terem “muita saída”, o que se tornava uma completa busca por pontos de venda associados a este tipo de alimentação.

Atualmente existem muitos indivíduos a praticar este tipo de alimentação, mesmo não sendo celíacos, porque consideram que a prática desta dieta é um auxílio para a perda de peso. O que na realidade não é de todo mentira, pois ao retirarmos o glúten vamos também retirar todos os alimentos que o contêm (produtos acima citados), provocando um défice calórico. Contudo, alguns destes produtos apresentam ingredientes pouco interessantes do ponto de vista nutricional, sendo essencial a leitura correta dos rótulos de forma a escolher e a identificar o melhor alimento com as restrições alimentares existente.

 

Em resumo, a perda de peso não está diretamente associada ao glúten e sim aos alimentos que contêm glúten. Se prefere reduzir/cortar alguns destes produtos, pode fazê-lo, mas com o objetivo de melhorar a sua alimentação e torná-la o mais variada possível, sempre com a contribuição de uma atividade física e regular.

 

Observações: Para saber quais os alimentos sem glúten que pode comprar, consulte este site – http://www.semgluten.pt/index.php

 

Referências Bibliográficas:

  1. Duarte, A., Martins, A. P., Dias, D., Ferreira, L., Xará, S., & Al., E. (2014). Alimentação na Doença Celíaca. Associação Portuguesa de Nutrição.

 

 

 

Daniela Toscano

Nutricionista Estagiária, C.P2104NE

nutricao3.texugo@aquafitness.pt

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE